top of page

Novembro de 2023

01

Encontros discutem o presente e o futuro do planeta


Realizado no começo de Novembro, o TEDxAmazônia reuniu ativistas e cientistas para compartilhar experiências para discutir soluções para o cuidado com o bioma.


O evento, com apoio institucional da Profile, retornou à região após 13 anos, quando foi realizado o primeiro encontro. O cenário parecia propício para a urgência do alerta: tomada há mais de uma semana por uma fumaça densa capaz de encobrir o céu. No final deste mês, acontece mais um evento fundamental para definir o futuro do planeta, a COP 28. No encontro, que será realizado em Dubai, será feito o primeiro balanço oficial do Acordo de Paris, quando os países se comprometeram a limitar a elevação da temperatura no planeta a +1,5°C. Mas, no cenário atual, o planeta se dirige mais provavelmente para um aumento da temperatura de 2,7°C em 2100.


Veja em:



02

Desigualdade dentro e fora de casa


O prêmio Nobel de Economia de 2023 foi dado à americana Claudia Goldin por suas pesquisas sobre mulheres no mercado de trabalho.


O trabalho de Golding aponta, de forma clara,  que as mulheres estão amplamente sub-representadas no mercado de trabalho global e, quando trabalham, ganham menos que os homens. Se no passado as diferenças podiam ser explicadas pelo nível de educação e as escolhas ocupacionais, hoje a maior parte dessa diferença salarial surge com o nascimento do primeiro filho. Segundo estudo do W.Lab, apesar de serem responsáveis por 52% das horas trabalhadas, considerando a soma do tempo dedicado a atividades domésticas e ao mercado de trabalho, as mulheres se apropriam de apenas 37% da renda gerada no Brasil. Entre outros fatores, esta diferença está diretamente conectada à invisibilidade do trabalho doméstico, tema da redação do último Enem. As mulheres dedicam, em média, 21,3 horas semanais a afazeres domésticos, enquanto os homens despendem 11,7 horas. 


Veja em:



03

Circularidade: novas pressões e frustrações


Foi sancionada em Outubro a lei que estabelece regras para o descarte de resíduos gerados em eventos em todo o estado de São Paulo.


A lei determina que o gerenciamento de toda a cadeia, da coleta ao destino final dos resíduos sólidos, é inteiramente de responsabilidade dos organizadores e prevê que todo o processo deve ser conduzido, preferencialmente, por cooperativas de catadores de materiais recicláveis. Já na Europa, o foco da regulação foram os microplásticos, com a proibição do uso de microplásticos adicionados intencionalmente em produtos, como no caso de esfoliantes de pele. Se, por um lado, aumenta a pressão sobre a gestão de resíduos, por outro lado, as empresas têm falhado em cumprir os compromissos assumidos para o tema. Entre as empresas que aderiram ao Compromisso Global para endereçar a poluição e os resíduos plásticos, liderado pela Fundação Ellen Macarthur, a maior não conseguiu cumprir os objetivos estabelecidos.


Veja em:




04

Transparência & comparabilidade exigem padrões comuns


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou em Outubro a Resolução CVM 193, que orienta a divulgação de relatório de informações de sustentabilidade com base no padrão internacional (IFRS S1 e S2), emitido pelo Conselho Internacional de Normas de Sustentabilidade (ISSB, em inglês). 


A adoção pelas empresas é voluntária. As companhias abertas que desejarem adotar o documento devem elaborá-lo a partir dos exercícios fiscais iniciados em 1º de janeiro de 2024 e divulgá-lo anualmente. O Brasil é o primeiro país do mundo a adotar oficialmente o recém-criado padrão global para divulgações financeiras de sustentabilidade. Este movimento está conectado à tendência de maior transparência das informações de sustentabilidade. 97 das 100 maiores empresas globais já aderiram, por exemplo, às recomendações do Taskforce on Climate-related Financial Disclosures, que estabelece um padrão para divulgação das informações sobre gestão das mudanças climáticas.  O número de empresas que divulgam publicamente dados de emissões através da plataforma CDP aumentou 24% no último ano, chegando a mais de 23.000 empresas.


Veja em:



Para Refletir:


Partnership for Forest


O Partnerships for Forests (P4F) é um programa do governo britânico que apoia negócios florestais de impacto positivo em diversos ecossistemas tropicais do mundo. O P4F demonstra a viabilidade desses negócios promovendo a conservação e o restauro de ecossistemas aliados ao bem estar das comunidades que vivem nas florestas. 

 

O  filme "Parceiros da Floresta" apresenta um lado frequentemente pouco visível das florestas - os ecossistemas de empreendedorismo rural sustentáveis formados por meio de parcerias entre organizações públicas, privadas e comunidades locais. O filme traz diversas inovações em sistemas de produção florestal e agropecuário em todo o mundo, demonstrando que é possível obter benefícios sociais, ambientais e econômicos ao conservar ou restaurar paisagens naturais. Essas soluções combinam tecnologia e conhecimento tradicional para proteger as florestas tropicais.

 

Conheça sobre aqui: Parceiros da Floresta



PAVULAGEM - Contos da Floresta


Você já conhece o gato de botas, o patinho feio, João e Maria, né? O podcast “Pavulagem” traz lendas contadas pelos povos da Amazônia,, como o Taú, do Patauí, da Macaca Guariba e de outros tantos seres misteriosos que habitam a maior floresta do mundo. 


Criada pelo jornalista paraense Maickson Serrão, o projeto traz histórias folclóricas contadas através de entrevistas com ribeirinhos e indígenas. A cada episódio você avança um pouco mata adentro e conhece mais do visível – e do invisível – da Amazônia, guiado pelas vozes de contadores de história da região. Pavulagem é um Original Spotify. Escute aqui.




Kommentare


bottom of page